Trabalho no Futuro – A Revolução da Indústria 4.0

A Universidade Oxford avalia que 47% dos empregos vão desaparecer nos próximos 20 anos. Então podemos chamar esta transição de Revolução da Indústria 4.0.

“As mudanças são tão profundas que, na perspectiva da história da humanidade, nunca houve um momento tão potencialmente promissor ou perigoso”, segundo Klaus Schwab, autor do livro:

A Quarta Revolução Industrial.

As mudanças são cada vez mais sistemáticas e surpreendentes: O Uber, a maior empresa de táxis do mundo, não possui sequer um veículo. O Facebook, o proprietário de mídia popular do mundo, não cria nenhum conteúdo. Alibaba, o varejista mais valioso, não possui estoques. E o Airbnb, o maior provedor de hospedagem do mundo, não possui sequer um imóvel.

Muitas profissões serão criadas a partir das novas tecnologias, mas é bom lembrar o pensamento do grande historiador Yuval Noah Harari:

“O problema crucial não é criar novos empregos. É criar novos empregos nos quais o desempenho dos humanos seja melhor que o dos algoritmos”.

Os estudos mais conceituados apontam que ao tentarmos competir com a Inteligência Artificial e os avanços da Robótica, nós seres humanos vamos perder assustadoramente, mas se investirmos no desenvolvimento das Habilidades Comportamentais como Boa Comunicação e Relacionamento, Colaboração, Resiliência, Liderança, Ética, Pensamento Crítico e uma série de outras habilidades relacionadas à Inteligência Emocional, teremos muito sucesso mesmo
em um ambiente de mudanças muito rápidas e constantes.

As habilidades que o profissional do futuro vai precisar desenvolver segundo o World Economic Forum serão habilidades comportamentais, pois a maior parte das atividades que vão exigir habilidades técnicas serão exercidas pelos robôs.

A capacidade do líder de continuamente aprender, adaptar-se e desafiar seus próprios modelos conceituais e operacionais de sucesso é o que irá distinguir a próxima geração de líderes comerciais bem sucedidos. 

As organizações bem sucedidas passarão cada vez mais de estruturas hierárquicas para modelos mais colaborativos e em rede.

Os profissionais deverão cada vez mais correr em busca de conhecimento para compreender esse novo momento e estarem prontos para ele.

Termos como Big Data, internet das coisas e computação na nuvem não podem mais passar batidos, pois as pessoas terão de lidar com máquinas e sistemas inteligentes.

Nós ainda podemos moldar o nosso futuro de uma forma que beneficie a todos. A janela de oportunidade para fazer isso é agora.